14.9.13

Meios amores

Cansei de meios amores! Escrevo como se estivesse batendo o pé no tapete da sua sala de estar e falando um pouco mais alto do que seus vizinhos estão acostumados a ouvir. E se estivesse cara a cara com você, seria a mesma coisa. Talvez sua taça favorita voasse contra a parede e a briga toda fosse um pouco mais feia, mas, num geral, seria eu gritando que cansei.

Pensei que pudesse aceitar metades na minha vida, acho que eu queria ser o suficiente para completar todas elas. Mas não é bem assim. Cara metade é quem acrescenta algo a alguém. Somos seres completos, temos um pouquinho de cada coisa necessária para nossa sobrevivência, e nossa cara metade só aumenta algumas dessas características, sabe? Se eu tô com alguém que não faz diferença, não faz diferença ficar sozinha.

Sei que a carência bate, aliás, foi o motivo da minha volta, mas carência não é saudade e qualquer um pode suprir. Vai que numa dessas até aparece alguém mais interessante. E, se não aparecer, valeu a experiência. Assim como valeu a pena ter tido a (terrível) experiência de te conhecer. E desperdiçar tantos anos tentando preencher metade de um copo furado.

Você não estava preparado para ler tudo isso, porque eu nunca demonstrei sentir metade dessa angústia. Errei, devia ter avisado que uma hora eu explodiria. Mas pensa pelo lado bom, não tô sujando seu tapete e incomodando o morador do apartamento debaixo, nem tô gritando fora de hora ou deixando cacos de vidro nos rodapés da sala. Eu só estou indo embora e vai ser bom pra nós dois. Nós ficaremos mais leves; você por voltar a ser metade e eu por tirar um peso dos ombros. Você não tem ideia de quanto um meio amor pode pesar.


1 comentários:

Isadora Mello disse...

"Se eu tô com alguém que não faz diferença, não faz diferença ficar sozinha." , "E desperdiçar tantos anos tentando preencher metade de um copo furado." , "Você não tem ideia de quanto um meio amor pode pesar.". ADOREEEEI! *-* Você tem cada frase emblemática! Como essas aí em cima ;) Gostei do modo como você escreve! Vou estar sempre por aqui lendo seus textos!