1.7.13

Sensitive subject matter

Eu sou um pouco impulsiva, mas sempre consigo rever minhas decisões e conceitos. Na maioria das vezes, acabo fazendo o que havia decidido desde o começo e hoje não teremos exceções.
Eu estou decidida.
Eu peço desculpas e também me perdoo.
Eu precisava de paz, eu precisava dormir. Eu fui um pouco além do que devia, eu só queria dormir mais cedo e acordar um pouco mais tarde, mas não sinto que vou acordar.
Eu e meu egocentrismo, começando todas as frases e parágrafos com a palavra "eu". Estou rindo. De tristeza, de alegria, de tantos remédios.
Estou arrependida.
Era minha vida.
Eram chances de ter sido feliz que eu não aproveitei, eram lugares que eu podia ter conhecido mas fiquei, eram pessoas que eu podia ter amado mas não amei. Deixei os anos passarem como se eles não fossem passar. Fui contando aniversários como se eu não fosse envelhecer. Fui coletando amizades e trocando-as por outras coisas que me interessavam mais no momento. Sempre que me deparava com um momento feliz, eu não conseguia sorrir porque sabia que terminaria no chão do meu banheiro, envolvendo os pequenos frascos de pílulas em pedaços de papel para que ninguém percebesse que eu havia tomado todas. Eu sabia que teria de fazer meus próprios curativos, e eles ardiam, e eu insistia. Eu não conseguia ser feliz porque sabia o que viria depois. Sabia que a felicidade era momentânea e a tristeza uma certeza. Somos tristes por natureza. Então resolvi que aceitaria a vida como ela é.
E eu resolvi também que ela não vale a pena. O sacrifício é grande e algumas pessoas nascem com pouca força.
Eu, por exemplo.
Queria ter sido forte ou que alguém tivesse notado minha falta de força.
Que me amparassem, que insistissem em mim quando perceberam que eu havia desistido de mim mesma.
Mas, talvez, como eu, vocês tivessem problemas.
Eu não os culpo.

Mas eu tinha tantos.

Ainda bem que tinha.

1 comentários:

Arianne Barromeü disse...

Mayara, você consegue passar seus sentimentos muito bem. E a vontade é de ler e não parar. Não cansa, sabe? Esse texto pareceu tão eu. Tão eu e o meu egocentrismo. Sim. Como você exatamente descreveu. Muito bom ,May. De verdade! :')

Já estou te colocando nos meus favoritos aqui.