19.6.13

Goodbye

Você não precisava ter parado de falar comigo. Pessoas se afastam naturalmente, nós nos afastaríamos porque não éramos exceção alguma. Já estávamos distantes naquele ano. Eu tinha uma nova turma, você fez uma nova amiga na aula de artes e nós fazíamos coisas diferentes. Eu já esperava que não fosse mais como antes, talvez não quisesse admitir, mas já esperava. Eu só não esperava ouvir você dizer que não precisava mais de mim, quando eu mais precisei de você. Eu te culpo por muito do que aconteceu depois daquele dia, mas você não fazia ideia do que estava acontecendo. Acho que não passou pela sua cabeça que eu estava entrando em depressão. Como poderia? Eu sempre fui um poço de alegria e otimismo. Me transformei num mar de tristezas e negatividade. Hoje sou só realista.
Queria que soubesse que estou me mudando para uma cidadezinha, como eu sempre quis. Estou no chão do meu quarto enquanto escrevo mais uma carta que não enviarei e entre parágrafos eu coloco uma ou duas coisas dentro das caixas de papelão que estão espalhadas por aqui. Vez ou outra, eu olho o que estou guardando e, numa destas, encontrei uma pasta com as suas cartas. Você foi a primeira pessoa a quebrar meu coração; a me prometer para sempre só para que eu descobrisse sozinha que o para sempre não existe. Dizem que o primeiro amor a gente não esquece, mas ninguém diz que a primeira amizade é muito mais difícil de superar. Você foi minha amiga quando me achavam esquisita, quando riam da minha camiseta da Hello Kitty, do meu cabelo e do quando eu faltava na escola, mesmo todos sabendo que eu estava doente. Por coisas como estas, eu não consigo ser dura com você. Eu não consigo ler suas cartas e não sorrir, eu não consigo ver nossas fotos e não sentir só gratidão e amor. E eu acho que esta carta é só para te pedir que sinta o mesmo. Eu nunca quis te afastar, eu nunca quis mudar, eu certamente nunca quis entrar em depressão e ser um fardo. Eu devia ter te ouvido, eu devia ter insistido, eu podia ter visto mais cedo. Mas o que se sabe quando se tem catorze anos? Eu não sabia nada e gosto de pensar que você também não, que não tinha ideia do que estava fazendo. Talvez hoje saberíamos conversar, talvez rissemos do passado, mas só talvez. Como eu disse, pessoas se afastam naturalmente e, mesmo com toda a saudade que sentimos, na maioria das vezes não há mais lugar para elas em nossas vidas. É a parte triste do fim de algo lindo; descobrir que por mais bonito que seja, nem sempre é feito para nós.

0 comentários: