24.4.13

Lego House

As pessoas já foram melhores. Ou já souberam fingir melhor. Elas já amaram mais, ou ao menos tentaram. Elas já lutaram mais por aquilo em que acreditam. Não vejo mais brilho nos olhares. Toda regra tem sua exceção, conheço algumas exceções para esta, me agarro a elas como posso, quero ter um fio de esperança em minhas mãos para dias como hoje, em que a minha própria já se foi. Não queria ser mais uma alma sem perspectivas, sonhos e fé. Sinto saudade da inocência que sempre desprezei. Queria crescer, queria saber manipular como eu era manipulada. Pena que eu não posso voltar atrás, pena que a vida segue independente do nosso passado. Dizem que o que não mata fortalece, mas talvez mate lentamente também. Já não quero mais estar num mundo em que não consigo dizer "eu te amo" com um sorriso no rosto. Onde se parece estúpido por amar. Onde ninguém mais consegue olhar nos olhos de quem se ama e ser honesto. Falta sinceridade, falta lealdade, cumplicidade, falta amor. Já somos minoria, nós românticos. E não vamos mudar ninguém. Não vamos mudar o mundo, não vamos mudar também. Vamos nos retrair. Vamos nos esconder. Esperar que o mundo acabe, mesmo que só para nós. Escreveremos prosas poéticas melancólicas e nos sentiremos nostálgicos quase sempre, mas vamos no denominar artistas e achar que então tudo bem, já que todo artista é triste. E quem é feliz, vive.

0 comentários: