21.4.13

Don't let me be lonely

Dia longo, noite solitária. A luz acaba e acende meus pensamentos, não há distrações agora. De repente, ouço sons e me pergunto se sempre estiveram lá ou a escuridão os acordou. Desvio o olhar, mas não há outra vista. Só sombras que me assombram nos quatro cantos do quarto. A vida já foi boa. Agora, é o que quer que isso seja. Não é ruim, não encaro muitos problemas mais porque estou me preocupando com os problemas passados. Também não encaro nada novo, nada que me alegre. Sou contente assim. Eu não tenho o para sempre, então por que viver? Tudo o que eu fizer, ficará aqui. Por que se mover? É tão fácil perder o chão. Não faz mais diferença estar claro ou escuro, o quarto é o mesmo, eu sou a mesma, eu só finjo bem para mim mesma quando tenho a opção de não pensar. Pensei em discar algum número da agenda. Não são amigos, muito menos amores, mas alguém me salvaria de mim. A tela também apaga antes que eu aperte "ligar". Eu teria dito "não me deixe ficar sozinha", mas ainda bem que o universo conspirou contra. Talvez descobrisse que sempre estive. Prefiro não saber. A luz voltou, a vida segue.

0 comentários: