5.3.13

The war is over

E assim, de repente, me senti mais leve. Com vontade de abrir a janela, sentar no chão, encostar a cabeça na parede e, não sei, pintar as unhas, talvez. Fazer alguma coisa que eu tenha feito em um longo tempo. Me arrumar pra mim tem sido uma delas. Tenho sido muito do que os outros esperam e pouco do que sempre sonhei ser. Hoje, tive vontade de ser eu mesma, mas nem lembrava direito como começar. Ou quem eu sou, por baixo de todas as camadas que jogaram em mim. Com a luz do sol entrando, o quarto começou a aquecer e eu lembrei que eu costumava ser uma dessas pessoas que amam a vida. Nunca tive certeza se acreditava em Deus, mas sempre que dançava pelo quarto brincando com a luz de fora, pensava 'se existir um Deus, acho que ele deve estar orgulhoso de si agora', porque sempre achei que ele fosse meio artista. Artistas sempre dizem que se sua arte tocar uma só pessoa, já basta. Acho que Deus gostaria de saber que a arte dele, vez ou outra, mexe comigo. Taí, acho que Deus é artista.
Mas não é disso que eu queria falar. Estava falando de leveza e do quanto eu tenho mudado. Tirei um tempo para me redescobrir e acho que logo já poderei dizer quem sou. Me sinto triste na maior parte do tempo, não quer dizer que eu não ame e que eu não sonhe, eu só esperava que a vida fosse maior. Não sei, queria que as pessoas fossem mais intensas, lutassem mais pelo que acreditam e por quem amam. Às vezes, sinto que estou sozinha. Sinto que estou lutando a favor de tudo o que amo e talvez não valha a pena. Mas não quero perder a esperança em sete bilhões de corações só porque já sofri por alguns e quebraram o meu. Não quero desistir de sonhos porque, afinal, já vi muitos se realizarem. Mas sinto que me acham louca. Sinto que riem quando me abro. Sou simples. Não sou uma metáfora, me faço entender até aos mais leigos. Acho que, num mundo tão cansado, ter sonhos como os meus e amar como eu amo é considerado loucura. Queria que existissem menos regras. "Não corra atrás", "aja indiferente para que dêem valor", não seria muito mais fácil se simplesmente déssemos valor, se simplesmente todo carinho fosse mútuo, se ao menos conseguíssemos respeitar o que ainda não entendemos?
Acho que nunca entenderei o mundo atual. Acho que em nenhuma época ele foi fácil de entender. Mas as pessoas estão piorando. O tempo está passando mais rápido. Literalmente. É comprovado cientificamente. Não temos todo tempo do mundo, desculpe-me, Renato Russo. A vida é muito curta pra não correr atrás do que se ama. Muito curta pra sermos indiferentes ao que vale a pena. E tudo vale a pena, não é?! A não ser que sua alma seja pequena, pra fazer alusão aquele poema. Mas eu não acho que seja. Não acho que existam almas pequenas, qual seria o motivo de estarmos todos aqui, se existissem?!

0 comentários: