27.1.13

Mr. Brightside

Sei que teria acordado pensando em você, se ao menos tivesse conseguido dormir. O dia está propício para isso - sofrimento. Para voltar no tempo e refazer mentalmente o caminho até onde estou hoje. Sempre que chove lá fora, troveja aqui dentro e aparecem os primeiros sinais de saudade e tristeza. Sei que não tem volta. Sei que fizemos tudo o que conseguimos, sei que fomos além do que todos imaginavam, mas nossos destinos são opostos. Nos esbarramos na metade do caminho, onde as duas estradas se encontram, mas não podemos ficar parados. A paisagem não muda, bloqueamos a passagem de outras pessoas e não estamos aonde gostaríamos de estar. Quando demos adeus, tentei não olhar para trás, mas em quase toda parada dava uma espiada no retrovisor. Não havia sinal de você. Eu vou na menor velocidade possível e você provavelmente já está perto da linha de chegada. Sem críticas. Talvez seja sua forma de superação. Da mesma forma que eu não voltei e não quis te seguir, você não quis. Eu preciso parar de te culpar pelo que deu errado. Às vezes esqueço que eu tinha as mesmas opções que você e esperei que você escolhesse sozinho. É aí que vemos que não era para ser. Era destino, mas não era para sempre. De madrugada, fico pensando e, entre lágrima e sorriso, me pergunto se voltarei a amar como te amei, a me entregar como me entreguei e se doerá como dói hoje. Sempre dizemos que não vamos cometer ao mesmo erro, mas amar não é errado e nem difícil. Então quero acreditar que vou me entregar, sim, vou amar louca e desesperadamente, deixe que doa! Vai doer até não doer mais, simples assim. E esse dia chega. O dia em que a dor cessa, o sol entra sem pedir licença, a gente se entrega sem nem perceber. Por enquanto vou sofrer, porque eu devo. Se você significou o mínimo para mim, o mais justo é sofrer com a sua partida. Mas toda ferida se cura e você vai ser só uma cicatriz bem clarinha um dia. Coisa que fica marcada, mas não dói, não é feio, a gente só lembra vez ou outra, passa a mão pra sentir, veste uma roupa e sai. Pela vida, pelo mundo. Porque existem tantas coisas lindas por aí... E o amor está entre elas.

0 comentários: