20.12.12

Somewhere only we know

Conforme a música toca, você molha os lábios, sorri de lado e canta junto. E eu amo o som da sua voz ecoando pelo cômodo. Eu amo fechar os olhos e ter seu rosto gravado por dentro das pálpebras. Você é tudo o que eu vejo, seu perfume é o único cheiro que sinto e sua voz ainda é o som mais calmo que conheço. Eu volto, só com a menção do seu nome, ao lugar onde nos conhecemos e faço o trajeto até onde nos amamos e te amo ainda mais. Amo de verdade, com todos esses defeitos bobos que eu quase não enxergo, com todas essas qualidades que eu exalto cada vez que falo de você pra alguém que me pergunta qual o motivo da minha felicidade. Minha felicidade tem nome e é o mais bonito de todos. É o que mais gosto de falar em voz alta e é o primeiro que vem à minha cabeça quando acordo. Minha felicidade apareceu numa sexta-feira de verão e nem o inverno a espantou. Me fez acordar uma manhã com vontade de levantar, me fez querer ser uma pessoa melhor pra mim e me fez superar todos os medos e inseguranças que eu tinha. Ela não virou rotina; tem dia que me deixa e eu sofro um pouco, mas ela volta. Que bom que volta e que bom que às vezes escapa de mim. Não quero esquecer a forma como me sinto, mas para lembrá-la é preciso perdê-la, sentir um pouco de sua falta. Pra cada dia valorizar mais, pra cada dia me dedicar mais. E terminar as noites como termino esta. Feliz de novo, contente comigo e grata pela vida. Quando você me conheceu, não podia ser definida por nenhum dos três adjetivos. E hoje posso, por três centenas. Coisa assim a gente não perde não. A distância vem com o tempo, mas a gente sabe que ela não nos atinge; separa o que tá do lado de fora, e a gente tá aqui dentro.

0 comentários: