18.10.12

All too well

Volte para o dia em que nos esbarramos na escada e você sorriu. Eu abaixei a cabeça e subi, tímida como era. Uma semana depois fomos apresentados e, droga, precisaríamos passar muito tempo juntos. Te detestei por dias até te amar. É verdade, acho que não te amei desde o dia em que te vi, só uso essa frase naquelas prosas poéticas e músicas em idiomas que você não entende. Não sei o que abriu meus olhos para você mas, apesar de brigar com esse sentimento todos os dias, sempre deito em paz com ele. Pelo amor que me trouxe, pelas lágrimas de felicidade, pela confiança e inspiração. Pelas danças no meio da avenida e beijos sob a lua de maio. Pelas vezes que deitei ao seu lado e você pediu a Deus que pudéssemos ficar ali para sempre. Pelas noites que a cerveja apagou e pelas noites em que não bebemos para que as memórias durassem. Não diga que não valeu a pena. Alguma coisa, no meio de todas as notícias ruins, valeu. Ou você não estaria sorrindo para mim, no meio da noite, depois de todo esse tempo. Me abraçando como fazia antes de me conquistar... Tentando me conquistar. Queria poder voltar ao dia em que me pediu para ficar e eu fui para casa, sorrindo. Sorrindo como você fez quando nos vimos de novo, e eu tive a certeza de que não tinha motivos para arrependimentos. Voltaria só para viver tudo de novo, não mudaria nem mesmo minhas palavras. Ainda guardo a caixa de chocolates... Não digo que guardo só porque você pergunta sobre ela toda vez que me vê. Realmente, está guardada numa gaveta. Junto de cartas que nunca enviei e músicas sobre nós. Mal comecei a falar de nós, mas só quero que saiba que ficaria falando a noite toda. Mas já é tão tarde e as memórias são tantas. Sinto que vou explodir toda vez que lembro do que fomos, danço sozinha no meio do quarto, sob a luz do lustre, com o violão que você jura que um dia vai me ver tocar e o sorriso que você trouxe à vida. Será que durará por muitas outras?! Não quero que só tenhamos essa juntos. Quero estar andando pelas ruas de qualquer cidade no mundo quando voltarmos e esbarrar em alguém que me faça pensar 'juro que o conheço de algum lugar' e alguém lá em cima vai rir da minha inocência. Não saberíamos, mas quão lindo seria?! Acredito mesmo nisso tudo e sei que você também. Mas só porque acreditamos, não quer dizer que podemos desperdiçar o tempo que temos nessa vida. Venha e me ame como naquela noite de dezembro, volte e me beije como a primeira vez, dance comigo mais uma madrugada, cante bêbado e fale da sua casa em Iguape, como se um dia eu fosse conhecer. Ou como se eu já conhecesse. Faça o que já fez até hoje, não me importo, não quero surpresas, só quero você. Deus não fez almas ímpares e a vida é muito bonita para não compartilharmos com quem perde um voo para o outro lado do oceano por mais um beijo. Obrigada por sempre voltar por mim... E para mim.

0 comentários: