5.7.12

Olá, rosas pretas. Que pena ter de deixá-las entrar em minha casa mais uma vez. Parece que minhas portas estão sempre abertas, já que estou tão acostumada com vocês aparecendo pelas redondezas, mas não faço questão de suas visitas. Seus espinhos já me machucaram o suficiente. Quero que minhas feridas cicatrizem e minha consciência esqueça que um dia eu aceitei seus desafios. Mas não tão cedo, pelo que posso ver. Seus espinhos conseguiram atingir aquela pequena parte de mim que já estava intacta há tanto tempo. Fico vendo o sangue escorrer sem lágrimas, sem gritos, sem segurar a respiração. Apenas lembrando que já estive neste mesmo lugar tantas vezes antes, jurando que não voltaria. É fácil esconder dos outros, mas eu acordo e durmo com uma dor dilacerante, física e espiritual. Que este não seja o ínicio de mais uma era que eu rezarei para esquecer. Que seja apenas uma forma momentânea de expor minha dor interior ao mundo, para que eles saibam que meu sorriso não é o que quero transmitir e afirmar que está tudo bem comigo não quer dizer que tudo realmente esteja. Mas sei que o mais importante é não acordar mais uma vez num quarto branco, nem precisar telefonar pedindo ajuda às quatro da manhã. O importante é eu manter a situação sob controle. Como eu disse que manteria antes de acordar num quarto branco. Que pena ter de deixá-las entrar em minha casa mais uma vez, rosas pretas.

2 comentários:

Anônimo disse...

Você sabe que pode impedir as suas rosas pretas, você nunca está sozinha, mas sozinha fica mais difícil. Novamente eu não deveria comentar suas angústias, porque você parece não querer a minha ajuda. Só me resta esperar o seu bem e deixar as portas abertas e os ouvidos atentos aos seus apelos. Saiba que estamos à sua disposição. Basta querer.

Anônimo disse...

Acho que você sabe que eu já estive muito perto da sua situação (de conviver com as tais rosas pretas). Estou me saindo bem com elas, mas não sem ajuda. Estou contente por você ter respondido meu comentário, mas seu amor é mais poético sem rosas e lâminas entre os dedos. Take care and stand by me.