13.7.12

Nunca mais eu e você

Você me disse que eu era linda no momento em que eu mais precisava. Agora me afasta, sem explicações, esperando que eu volte para o lugar de onde você me tirou. Mas adivinha, “patrão”? Eu não sou mais a garota que você conheceu em 11 de março. Pode ir em frente e se gabar, você tem participação no meu crescimento, mas não ache que você me construiu. Quem eu sou já estava em mim há muito tempo, você só me fez sair da concha. Suas palavras eram doces e assim também era o seu beijo, mas eu descobri que há coisas ainda mais doces por aí e pessoas melhores. Não era minha intenção tentar ferir seus sentimentos, mas sinto muito se você ficará magoado ao me ouvir dizer que você ainda precisará passar por outras vidas para evoluir como ser humano. Não estou me colocando num pedestal, acho que eu também precisarei, mas há noites em que eu rezo para agradecer por não ser como você. Por não conseguir fazer o que você faz. Sente aí no seu banco favorito, no bar que eu parei de frequentar, e pense na vida. Pense em mim. Peça outra rodada. E outra. E outra. Vá para casa com olhar de derrota e durma com a sua solidão, porque ela será sua melhor amiga daqui para frente. Eu, nunca mais. Nossas memórias são boas, agarre-se à elas. É a única parte de mim que não posso controlar. Em mim você não poderá se apoiar mais. Entende?! Eu, nunca mais...

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns!

Anônimo disse...

May May, você está sem inspiração ou sem tempo pra novas histórias? Brinde-nos com novas fantasias suas, com novos contos e novas estórias.