27.7.12

Keep on moving, keep climbing, keep the faith.

O ônibus finalmente chega, com quase quarenta minutos de atraso, depois de eu já ter escutado mais palavras do que queria das duas moças reclamonas que estão atrás de mim na fila, mas eu tento apenas ficar feliz com o fato de estar chegando, não ficar mal humorada pela demora. Penso que eu devia ter sido assim mais vezes, devia ter visto o copo meio cheio, devia ter sorrido para as caras fechadas... Mas, tudo bem, eu começo a colocar todos os detalhes em prática hoje mesmo, é o de menos. O trânsito parece estar pior hoje que nos últimos dias, mas tenho mais tempo para pensar em todas aquelas coisas que eu fiz e disse. Chego à conclusão de que realmente estamos todos destinados a algo. Eu já tinha perdido a esperança de que isto fizesse algum sentido, mas a vida é uma coisinha engraçada, é uma caixinha de música que às vezes esquecemos de dar corda. Já passei noites em claro no quarto onde durmo cantando baixinho, fechando os olhos e imaginando como seria a vida se ela fosse como eu sonhava. Deus sabia o tempo que eu levaria para amadurecer e não apressou as coisas; ainda bem. Ainda bem que não aconteceu tão rápido quanto eu desejei, nem da forma que esperei. Dou muito mais valor hoje às coisas que conquisto diariamente. E pensar que no mesmo quarto eu desejei ter a coragem para dizer adeus a tudo não uma, nem duas, nem três vezes; dezenas... Alguma coisa sempre me impedia e eu me odiava ainda mais por não conseguir fazer o mundo parar de girar. Eu precisava de tempo. E este tempo não é nada comparado ao que eu tenho pela frente, que eu realmente quero ter dessa vez. Eu quero poder abraçar as oportunidades e dizer que eu tenho ansiado por elas por tanto tempo, que eu perdi o foco algumas vezes e perdi a fé mais do que posso contar, mas eu devo ter feito algo certo no meio do caminho para receber uma recompensa tão boa. Hoje não sei se foi a paciência ou a igreja ou a terapia, mas alguma coisa funcionou. Eu não duvidarei mais do que o tempo pode trazer. Dizem que a vida é uma escalada, mas a vista é ótima. Minha vista não deixa nada a desejar, seja dia ou noite, verão ou inverno. Vale a pena esperar pelo sol, porque, quando ele aparece, eu não gostaria de estar em nenhum outro lugar.

1 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns, é assim que gosto de te ver. Pra cima e pra frente que se anda.