20.6.12

Onde Deus possa me ouvir...

Lembro de estar sentada na calçada, em frente a um boteco qualquer, com uma boa amiga e pensando que não era uma boa hora para começar a falar de você. Na verdade, nunca é uma boa hora. Quanto menos eu falar, menos falarei. Mas a cerveja descia rápido e em alguns minutos já estávamos na terceira garrafa e ela perguntou como nós estávamos.
Eu estava sem fé. Havia passado a manhã na igreja, rezando para entender alguma coisa do que estava acontecendo, sem resposta. Mas Deus trabalha de forma misteriosa e, se não me ouviu na Igreja, me ouviu numa mesa de bar, suspirando fundo antes de dizer 'eu não sei'. Não sabia se você estava na defensiva ou simplesmente não dava a mínima, depois do tempo que ficamos afastados. Sentia falta da sua voz chamando meu nome e dos sorrisinhos de lado quando eu tentava falar grosso. Sentia falta das caronas, cantando com o rádio. Estava morrendo de saudade de brindar ao resto da noite, deitados, no fim da tarde. E eu não fazia ideia se você sentia falta das coisas que fazíamos juntos ou, ao menos, de estar comigo.
Noite difícil, falando de você. Fui embora chorando, embriagada, chutando pedras e brigando com o vento. Não que Deus tenha sentido pena, mas acho que Ele entendeu que era preciso lhe tirar um pouco o orgulho para que voltássemos a ser nós.
Voltamos.
E acho que está na hora de voltar no tal boteco, pra ver se Deus ainda está por lá...

2 comentários:

Anônimo disse...

Agora entendi o porquê da sua resposta. Até o horário coincide. Seja feliz.

Anônimo disse...

Agora vejo que também preciso escrever sobre meus sentimentos, minhas incertezas, minhas dores e meus desejos. Vejo que isso te faz bem. Deve me fazer o mesmo. Ler e escrever são as coisas que mais gosto. Ler seu blog me faz conhecê-la melhor e amar ainda mais você. Não me impeça de amá-la, pois isso me ajuda a viver melhor e dá mais sentido à minha vida.