3.6.12

Lutei contra muitos para provar que nós estávamos destinados a um futuro juntos. E joguei tudo para o alto no começo de uma noite de junho. Pedir desculpas não apagará o meu erro e me arrepender não te devolverá a confiança em mim. Eu acreditava que você era a pessoa certa, numa hora um pouco conturbada mas, ainda assim, certa. Não tem isso de "você é o certo mas eu sou a errada". Somos errados, um para o outro. Pertencemos à outras almas, seguiremos caminhos diferentes e talvez nos encontremos uma vez ou outra, por acaso, por coincidência, mas não porque é destino. O nosso destino é levar a experiência adquirida com uma relação que fracassou para uma próxima e fazer o que devemos para dessa vez dar certo. Foi melhor assim. Cometi um erro que me libertou de uma vida ao lado de uma pessoa que não me completaria. Tá doendo e vai doer mais um pouco. Em mim e em você. Mas a dor te faz procurar curas e uma hora você encontra algo que feche as feridas e abra seus olhos. Eu finalmente estou fazendo as pazes comigo mesma e aceitando que agora nós somos boas lembranças para os dias frios ao som de U2. Coisa para guardar para si mesmo e seguir em frente. Continuar com a vida tem um gosto meio amargo e às vezes parece meio impossível, mas é assim mesmo... Geralmente, caminhar para frente começa com adeus. Não somos os primeiros nem os últimos sofrendo com isso, então fica tranquilo, porque todos já se magoaram e sobreviveram. Não tem nada de tão especial sobre nós para acharmos que somos uma exceção. Pronto, acabou.

1 comentários:

PedroSardi disse...

O problema,às vezes, não é apenas abrir os olhos, muitas vezes é quem se quer ver também querer ser visto.