26.6.12

"Dá tchau, nenezinho!"

Nunca pensei que almoçaríamos lado a lado sem trocar olhares amistosos e risadas altas. "Pessoa sem noção", você diria. Como fazia toda vez que eu terminava de contar sobre o meu final de semana. Agora acho que você prefere que eu te ligue no aniversário, mande e-mail no Natal, mas não te perturbe semanalmente como era de costume. Acho que prefere que eu fique longe da sua rua para evitar mais confusões e trocou a expressão alegre por uma saudação formal, de colegas de serviço e nada mais. Eu entendo. Eu lamento.
No momento em que entrei no ônibus, meus olhos se encheram de lágrimas e eu pensei "karma really is a bitch", me imaginando numa cena de filme americano. Antes fosse um filme americano. A vida real também é uma vadia. Correr atrás não é opção porque te fará correr também e Deus sabe que eu não te alcançarei. Ficar parada é suicídio, porque tudo continua, mesmo que devagar e dolorosamente. Pedir desculpas não adianta nessa situação. Tempo eu não sei se cura tudo. Mas sei que ele não apaga memórias. E espero que a memória da nossa amizade seja mais forte que a mágoa. Que você e eu ainda possamos continuar construindo o que idealizamos, que eu ainda tenha a chance de te ouvir dizer "encheção" quando eu começo a repetir sobre aquele assunto que você detesta, porque acha que eu ainda sou seu bebê. Eu não sou mais um bebê, não é?! Muito menos seu. Acho que eu cresci sem me dar conta e cometi erros achando que ainda passariam a mão em minha cabeça. Que bom que não, agora não voltarei a cometer esses erros bestas que te afastaram de mim. Agora vou erguer o queixo e seguir com a vida, te dando o espaço que você precisa pra ver que eu te amo acima de tudo. Será difícil não poder te ligar quando voltar de Rio Preto depois de um concurso público, mas acho que isso também foi só uma vez na vida. Exatamente como encontrar alguém como você. Tudo passa, infelizmente. Mas, felizmente, a dor também. A gente fica bem.

2 comentários:

Anônimo disse...

Mayara, acho que os problemas que enfrentamos nos fazem ficar mais fortes. Pelo que conheço das personagens da sua estória, ela não abaixou as cortinas. A estória continua, talvez não do mesmo jeito que antes, mas uma estória amadurecida, uma estória adulta. Ela continua gostando de você do mesmo jeito. A imagem pode dizer outra coisa, mas fora de cena você continua sendo a mesma 'encheção' de sempre. Lamento o ocorrido e os erros pertencem ao passado agora. Tocando em frente é a música perfeita para esse momento. Não desista de suas amizades, pois elas não desistem de você. Você não tem que ser perdoada pelo que não fez.

Anônimo disse...

Não sei se você está lendo os comentários, mas ele serve pra desabafos também. Espero que você não esteja mais com raiva de mim, porque te admiro demais e estou tentando dar um tempo. Sei que não sou o foco de sua atenção, aliás você deve querer o máximo de distância, mas sempre me incomodou pensar que magoei alguém e esse alguém me castiga com a indiferença. Espero mudar isso algum dia. Só não me compare com os outros, porque sei o meu lugar e sei até onde devo ir. Até um dia.