3.4.12

Devaneios

É muito cedo pra te querer de volta nos meus braços? Fazendo beicinho, falando mansinho, bebendo, sorrindo... Sabendo que essas coisas me deixam boba por alguns dias. Ter seu melhor lado ao meu lado me faz perguntar o que eu fiz pra te merecer. Pshh, foi uma pergunta retórica. Não fiz nada. Corri um pouco atrás, falei um pouco demais, coisas que todo mundo faz. Você fez muito mais. Você não desistiu quando eu desisti, me aceitou quando eu menti e voltou quando eu pedi. Toda vez que você se supera eu tenho medo que seja a última vez e eu sempre ganho novas chances. E a cada chance vou melhorando, a cada novo dia te amando eu vou aprendendo como te amar da forma que você merece. Vou coletando os pedaços, te dando abraços e esperando que seja o suficiente pra te manter assim. Só pra mim. Com a sua pele dourada, a blusa amassada e milhões de risadas. Poético esse nosso amor, não é, meu amor?! Meio louco, conturbado, com uma pitada de errado, até um pouco planejado. Não por nós, por Deus. Ou por qualquer força maior que nós ainda não compreendemos. É desta força a culpa das coisas que eu não posso explicar. Do que me fez te amar, da sua forma de demonstrar. Somos meio assim mesmo. Em meio a devaneios, somos cheios de anseios, meio inteiros. E é assim que eu te quero nos meus braços, a hora que você quiser meu aconchego.

0 comentários: