30.3.10

2008.

Às vezes, eu rezo antes de dormir para voltar a te encontrar. Eu já tentei de tudo para te esquecer e, já que não consegui, tentei te procurar. Deus sabe o quanto eu ameacei discar seu número e, quando finalmente o fiz, ouvi aquela mensagem que ele mudou. Eu aceitei como um sinal de que já não era mais para ser. Ainda assim, eu sinto tanta falta das borboletas no meu estômago que só você proporcionou. Você me fazia perder noites de sono porque eu adorava imaginar nosso futuro. Aliás, até hoje me pego perdendo essas noites, porque eu gosto de lembrar daquele tempo, quando eu tentava começar uma conversa com você e me perdia nos seus olhos. Ficava tão claro que eu te amava. Eu não te amo mais daquela forma, na verdade, eu só sinto falta, porque eu nunca lidei bem com mudanças. Eu escrevi algumas curtas cartas, que eu não sei para onde enviar, só para te dizer que tem alguém nesse mundo que vai lembrar de você até seu último suspiro, porque você mudou a vida dela. Dizem que o primeiro amor a gente nunca esquece e é clichê dizer isso, mas verdadeiro. E eu descobri que não esquecemos porque nos entregamos sem medo e, quando nos magoamos com ele, nunca mais vamos dar tudo de nós para outra pessoa. Você teve tudo de mim desde o dia em que me apaixonei e saiba que você ainda me tem.

0 comentários: