25.2.10

Last Second Chance.

Engraçado como a vida prega peças na gente, não é?! Eu estava aqui pensando em como essa manhã foi irônica. Eu sempre quis escrever uma música sobre como eu me sentia ao segurar suas mãos e olhar nos seus olhos, mas isso nunca aconteceu, então tudo o que eu compunha não soava real. Hoje você veio em minha direção e quando você pegou minha mão eu já comecei a tremer, tentando meu melhor para que você não percebesse como eu fico quando você se aproxima. Tudo o que passava pela minha cabeça eram frases clichês sobre como era bom tudo aquilo e sobre como eu chegaria em casa e correria para o meu violão para colocar melodia naquelas palavras, tão felizes até então. Daí você solta a bomba e eu tento me recompor antes mesmo de desabar, para que você só veja a parte de mim que está feliz por você ir ser feliz e não a parte que quer morrer por não te ter mais ao meu lado. Eu já ouvi que eu sou uma pessoa difícil e egoísta, mas talvez hoje eu deixaria muitos orgulhosos pelo fato de te deixar ir embora, contente por fazê-lo, sem tentar te confundir com meus sentimentos tão instáveis, mesmo sabendo que era minha última segunda chance.

0 comentários: